Mercado

O porco de raça bísara, tal como outras raças autóctones, não tem aptidão para elevados rendimentos de produção de carne magra obtendo-se uma carne pouco atoucinhada, muito entremeada e com um excelente sabor, devido à variedade de alimentos que eles consomem. É uma carne que apresenta elevada qualidade sensorial e tecnológica, o que se traduz positivamente na aceitabilidade da carne e na aptidão para a transformação, principalmente em produtos de qualidade reconhecida, como o Fumeiro de Vinhais com Indicação Geográfica Protegida (IGP) e Carne de Porco Bísaro Transmontano, com Denominação de Origem Protegida (DOP).

É, portanto, uma raça indicada essencialmente para sistemas de produção extensivos, sustentáveis e destinados à produção de produtos diferenciados, de reconhecida qualidade, que possam competir em circuitos alternativos num mercado cada vez mais competitivo.